sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Romantismo no Brasil - Prosa

. 
1.                     Origem
A prosa romântica inicia-se com a publicação do primeiro romance brasileiro, "A Moreninha", de Joaquim Manuel de Macedo. O romance brasileiro caracteriza-se por ser uma "adaptação" do romance europeu, conservando a estrutura folhetinesca européia, com início, meio e fim seguindo a ordem cronológica dos fatos.
O Romance brasileiro poderia ser dividido em duas fases: Antes de José de Alencar e Pós-José de Alencar, pois antes desse importante autor as narrativas eram basicamente urbanas, ambientadas no Rio de Janeiro, e apresentavam uma visão muito superficial dos hábitos e comportamentos da sociedade burguesa.
E com José de Alencar surgiram novos estilos de prosa romântica como os romances regionalistas, históricos e indianistas e o romance passou a ser mais crítico e realista. Os romances brasileiros fizeram muito sucesso em sua época já que uniam o útil ao agradável: A estrutura típica do romance europeu, ambientada nos cenários facilmente identificáveis pelo leitor brasileiro(cafés, teatros, ruas de cidades como o Rio de Janeiro).
2.                     Autores
· Manuel Antônio de Almeida
O que melhor descreve a sua importância no romantismo brasileiro é o seu envolvimento com o Romance de Costumes. Sua obra procurou retratar os hábitos, a moda, o folclore e a religiosidade das classes populares do início do século XIX, desmascarando violentamente a baixa sociedade brasileira colonial, o que a torna singular dentre as obras românticas que procuraram tratar dos costume e dos valores da alta sociedade imperial. Seu romance de costumes ironizava os padrões e normas românticos, criticava a desequilibrada baixa classe brasileira sarcasticamente e pôs em crise a idealização romântica devido ao fato de seus personagens serem malandros, cafajestes e praticamente marginais. Um dos principais traços da obra de Manuel Antônio de Almeida é o predomínio do humor sobre o dramático, suas personagens eram caricaturizadas, com ênfase aos seu defeitos, os acontecimentos da trama desmentiam as aparências das personagens (o quebra mais um padrão romântico cujas obras apresentavam acontecimentos que validavam as aparências das personagens). Seu romance era Picaresco, relativo a picadeiro, ou seja, eram romances cômicos e tendiam ao patético, substituindo o dramático habitual do romantismo por um humor crítico e sagaz. Sua produção apresenta uma ausência da tragédia humana em função de quebrar mais um cacoete romântico. Caracteriza-se como autor precursor do realismo por sua objetividade e sua descrença nos valores sociais, destruindo assim, o caráter subjetivo e bajulador do romantismo. Apesar de toda essa quebra de valores, não só a sua localização temporal, mas também a presença da linearidade e a proteção dos valores burgueses, encaixam a sua obra dentro do romantismo brasileiro.
· Joaquim Manuel de Macedo
Célebre por dar início à produção prosaica do romantismo brasileiro, Joaquim Manuel de Macedo ou Dr. Macedinho, como era conhecido pelo povo, escreveu um dos mais populares romances da literatura romântica do Brasil. O romance "A moreninha" fez um enorme sucesso dentre a classe burguesa brasileira que se sentia extremamente agradada por um novo projeto de literatura: A literatura original do Brasil. Uma literatura que continuava a seguir os padrões das histórias de amor européias tão populares entre a classe burguesa, mas que ao mesmo tempo inovava ao trazer tais histórias tão clássicas para ambientes legitimamente brasileiros que faziam os leitores identificarem os ambientes mencionados. Trata-se de um escritor que estava voltado para as narrativas urbanas e tinha como foco a cidade do Rio de Janeiro, capital do Império do Brasil, e a alta sociedade carioca em seus saraus e festas sociais. Seus romances em forma de folhetim, eram como as atuais telenovelas, só que escritos em epiódios num jornal. As obras de Joaquim Manuel de Macedo apresentam uma visão superficial doas hábitos e comportamentos dos jovens da época, buscando ilustrar a pompa e o luxo da alta classe capitalista, e com isso, escondendo a hipocrisia e a dissimulação da burguesia. A grande importância de sua obra é em despertar no público brasileiro, o gosto pela produção literária nacional, ambientada em cenários facilmente identificáveis. Seus romances posteriores a "A moreninha" seguem sua mesma "fórmula".
· Taunay
Outro importante autor da vertente regionalista do romantismo brasileiro, que tomou por cenário de suas narrativas o estado de Mato Grosso. Sua obra caracteriza-se pela precisão de detalhes e pela descrição minuciosa da paisagem mato-grossense, abusando de detalhes sobre a flora, a fauna e o relevo do cerrado central do Brasil. Seus romances apresentam a habitual estrutura romântica linear e acessórios realistas. Caracterizados por estarem integrados à vertente sertanista, preocupando-se em retratar de forma rica e real o ambiente particular da região centro-oeste brasileira. Dentre as principais de obras de Visconde de Taunay estão:
Inocência - O romance tem como protagonistas a pura e ingênua Inocência, que é vendida pelo pai ao fazendeiro Manecão, e Cirino, um curandeiro que se finge de médico para ganhar a vida e que numa de suas "consultas" cura Inocência e entrega uma carta ao pai da moça, Seu Pereira. Inocência e Cirino se apaixonam, e a frágil moça se torna forte em nome de seu real amor, num de seus encontros amorosos o casal é descoberto o que leva Seu Pereira e Manecão a planejarem uma emboscada para Cirino. Cirino e Inocência terminam mortos. Visconde de Taunay inova por apresentar um desfecho infeliz com a morte dos dois protagonistas.
· Bernardo Guimarães
Considerado um dos mais importantes regionalistas românticos brasileiros, opta por seguir um dos caminhos traçados por José de Alencar ambientando suas tramas nos estados de Minas Gerais e Goiás. Suas obras conservam o caráter linear romântico, apresentando a estrutura folhetinesca típica de sua época; prezam pela valorização do pitoresco e do regional, resgatando os hábitos típicos da sociedade imperial. Caracteriza-se por usar, por vezes, a linguagem oral em sua obra e fazer críticas sutis aos sistemas patriarcal, clerical e escravocrata do Brasil Império. Entres suas principais obras, destacam-se:
A Escrava Isaura - Fez grande sucesso enquanto livro, tão notável que foi adaptado como novela da Rede Globo. Bernardo Guimarães tentou criticar a escravatura no Brasil, patrocinando, através de sua obra, o abolicionismo, no entanto sua crítica se mostrou um tanto mal-sucedida pois a personagem principal, Isaura, era uma escrava branca, e a antagonista, uma mucama negra, o que incitou nos leitores uma raiva da personagem negra e um sentimento de pena e compaixão da escrava branca Isaura. Pode-se dizer que não atingiu seu objetivo realista devido a sua crítica equivocada, mas conquistou enorme admiração e já nos permite identificar traços de uma literatura brasileira mais realista. Apresenta o caráter sentimentalista romântico das histórias de amor terminando com seu devido final feliz.
O Seminarista - Não tão notório quanto a obra acima, mas não por isso perdeu seu valor literário. Critica o sistema patriarcal da época e principalmente o sistema clerical, mencionando a inadequação do jovem à vida religiosa imposta pela família. Assim como "A escrava Isaura", é uma história de amor, que permite-nos observar sentimentos em conflito com uma realidade imposta pela sociedade (o jovem que não pode amar pois fora forçado a ser padre por sua família). Ao contrário da primeira obra, apresenta um final trágico no qual o protagonista enlouquece ao saber da morte de sua amada.
· José de Alencar
José de Alencar é considerado o patriarca da literatura brasileira. Inaugurou novos estilos românticos e consolidou o romantismo no Brasil desenhando o retrato cultural brasileiro de forma completa e abrangente. E devido a essa visão ampla do cenário brasileiro, sua obra iniciaria um período de transição entre Romantismo e Realismo. Suas narrativas apresentam um desenvolvimento dos conflitos femininos da mulher burguesa do século XIX, já que seus romances a tinha como público alvo. Sua obra pode ser fragmentada em três categorias:

 

Romances Urbanos

Romances ambientados no Rio de Janeiro, protagonizados por personagens femininos, mostravam o luxo e a pompa das atividades sociais burguesas, no entanto apresentavam uma critica sutil aos hábitos hipócritas da burguesia e seu caráter capitalista. São exemplos de romances urbanos de José de Alencar:
·   Lucíola - Critica o fato de a burguesia, que financia a prostituição durante a noite, ter aversão às mesmas durante o dia.
·   Diva - Ressalta a beleza das jovens e ricas burguesas, o virtuosismo e a pureza e, em contrapartida, critica o casamento por interesse financeiro.

 

Romances Regionalistas

Narrativas que se sucedem em centros afastados da capital imperial, ou seja, histórias que acontecem em lugares tipicamente brasileiros, mais pitorescos, menos influenciados pela cultura européia. Apesar de José de Alencar narrar seus romances regionalistas com uma incrível fluência e suavidade, as histórias narradas são superficiais devido ao fato de que o autor não viajara para as regiões que descreveu ou sequer pesquisara a fundo sobre elas. Basicamente, são romances que procuram ser mais fiéis ao projeto de brasilidade e propaganda do Brasil independente, no entanto acabam por idealizar os ambientes das tramas e limitam-se às proezas da imaginação de José de Alencar. São Exemplos de romances regionalistas de José de Alencar:
·   O Gaúcho
·   O Sertanejo

 

Romances Históricos e Indianistas

Romances que revelam a preocupação de José de Alencar em exibir o índio como herói nacional. Enquanto os autores românticos da europa retratavam o saudosismo através de menções à época medieval, no Brasil, Alencar procurou buscar na cultura indígena brasileira o passado fiel da história brasileira. Seus romances trazem uma linguagem mais original, com vocábulos do tupi, retratam o índio como símbolo de bravura, de pureza e de amor ao ambiente natural. Pode-se dizer que seus narrativas tendiam ao estilo poético por entrelaçar o caráter básico da prosa com o lirismo do gênero poético. Em resumo, suas obras utilizam o indianismo como forma de revelar um conceito mais original de brasilidade e criar um projeto de língua brasileira. Dentre as obras mais importantes de José de Alencar nesse ramo do romantismo, estão:
Ø                O Guarani
Ø                Ubirajara
Ø                As Minas de Prata
Ø                Iracema
 
Resumo do livro Senhora de Jose de Alencar
Senhora é um romance clássico, narra a historia de Aurélia Camargo e Fernando Seixas.Aurélia moça pobre é  rejeitada por Fernando, esse por sua vez assumi compromisso com Adelaide por interesses econômicos.A mãe de Aurélia morre deixando-a em situações precárias, ao mesmo tempo o avô de Aurélia  que outrora teria a rejeitado morre deixando para ela toda a sua herança, Aurélia tornasse rica e decide  vingar-se de Fernando, faz com que seu tutor o senhor Lemos procure Seixas e oferte dinheiro para que se case, com uma moça que ele só poderia saber quem era, quando estiver próximo da data do casamento. Fernando aceita sem saber que a sua noiva era Aurélia. No dia da apresentação Fernando se surpreende ao saber que a sua noiva é Aurélia, e ao mesmo tempo se sente alegre pesando que ela avia perdoado ele.
Na noite de núpcias Aurélia humilha Fernando chamando-o de vendido, aparte desse dia, Fernando tenta se  redimir juntando dinheiro, para devolver o dote recebido e recuperar a sua liberdade.
Fernando  então consegui, devolver o dote recebido a Aurélia, essa por sua vez descobrindo que seu marido tornava-se um homem honesto, assume seu amor por ele, e os dois finalmente, conseguem ser felizes.
 
Entendimento do Livro “Senhora”
Senhora trata-se de uma critica aos costumes da sociedade burguesa, esta obra traz consigo características de uma sociedade voltada ao lucro que de certa forma realizava os casamentos baseados em interesses econômicos e não no amor conjugal.
Esta obra esta dividida em quatro partes: O preço, Quitação, Posse e Resgate.Na primeira parte O preço narra a historia do surgimento de Aurélia na sociedade  fluminense, nesta primeira parte observamos todo o seu potencial por entre a sociedade e tudo o que ela representava entre os grandes nobres da época.Na quitação encontramos a historia do casamento que Aurélia tinha encomendado, através de seu tutor.Em a posse vemos o  a convivência conjugal de Aurélia  e seu esposo, que de certa forma aos olhos da sociedade era um casamento feliz.O resgate narra como ouve a reconquista do casal, e como aconteceu  a consumação do amor de Aurélia e seu esposo.
Podemos ainda notar nesta obra diversas características do Romantismo:
Como a idealização da mulher e a valorização do amor conjugal.
Este é um dos últimos livros escritos por Jose de Alencar e é considerada uma de suas maiores obras literárias, pois esta aborda diversos temas voltados para as altas classes do Rio de Janeiro no Segundo Reinado.

Tendência do livro “Senhora” e linguagem utilizada
Jose de Alencar procura retratar o modo de falar da aristocracia e da burguesia em ascensão por meio de dialogo bem-feitos. 
[...]
 “- Tomei a liberdade de incomodá-lo, meu tio para falar-lhe de objeto muito importante para mim”.
 - Ah!Muito importante?...Repetiu o velho, batendo a cabeça.
- De meu casamento!Disse Aurélia com maior frieza e serenidade.   
[...]
Em contraposição  o autor utiliza uma linguagem metafórica  e abundantemente adjetiva, ate mesmo nas passagens em que pretende  demonstrar certo realismo. É exemplo disso a descrição que Alencar faz de Aurélia.
 [...]
“Era uma expressão fria, pausada, inflexível, que jaspeava sua beleza, dando-lhe quase a gelidez da estátua. Mas nos lampejos de seus grandes olhos pardos brilhavam as irradiações da inteligência. Operava-se nela  uma revolução. O principio vital da mulher abandonava seu foco natural, o coração, para concentrar-se no cérebro, onde residem as faculdades especulativas do homem”.
[...]
De acordo com o tema principal abordado no livro podemos afirmar que  o tipo de tendência pode ser classificado como um romance urbano, pois este mostra temas ligados à cidade e a sociedade em geral.

Fonte: http://albumdeliteratura.vilabol.uol.com.br/archive.htm

Nenhum comentário: